o humor e as notícias mais sacanas da web
Quinta-feira, 30 de Junho de 2011

Já estou de saco cheio de ler lengalengas de blogueiros chatos a respeito de plágios e cópias de suas “obras primas” diarréicas. Todo blogueiro se sente inchado ao ver seu trabalhinho reconhecido. Alguns admitem que eles sejam publicados em outros blogs, mas outros esperam receber direitos autorais para permiti-lo.
É forçoso dizer que na Internet quase nada se cria e muito se copia. O que não se pode entender é um animal que, sem qualquer noção de ortografia, escrevinha um monte de tolices e julga haver criado uma peça literária de altíssima qualidade. Bem feito que, tripudiando da sua pretensão, a chacoteiem. Não citar seu nome e link chega a ser um ato ético, para que outros não corram o risco de se contaminar com a sua virulenta babaquice.
A grande maioria dos blogueiros “sérios’ (fala sério!) tratam estas mulas com muita condescendência. Geralmente o autor é adulado e, mui generosamente, concede a autorização, exigindo créditos e louros.
A Internet, igual a mulher velha, é uma coisa sem regras. Se alguém não quer ser ridicularizado, então não publique abobrinhas. E se escritores de verdade são plagiados, por que blogueiros de meia pataca não aceitam isso?
Eu fico feliz da vida se algum(a) sem-noção copia alguma merda que eu atire no ventilador mundo virtual repleto de pretensos sábios, magos, fadas, duendes e criaturas “encantadas” que, metidas a cagar cheiroso, fazem questão por toda e qualquer bosta. A indignação por terem sacaneados os seus autênticos febeanet (festivais de besteiras que assolam a net) deveria ser humildemente trocada pelo reconhecimento a quem se deu o trabalho de ler à titica saída de sua cabecinha câmara urogenital.
Em algum lugarzinho eu li que ‘Qualquer blogueiro, por mais desambição de reconhecimento que tenha, é o artífice e sua obra merda está legalmente resguardada’. É dele, e unicamente dele, a forma como usará a sua criação bunda, e ninguém tem nada com isso.
Por que então se copia tanto na blogosfera? Ora, meu jegue... É muito mais fácil debochar dos estúpidos que criar as “maravilhas” que ele julga serem suas cagadas. Copiar é arriscado, pois iguala o copista ao “escritor” bundão metido a literato. Colar porqueiras dá a qualquer um muito sucesso cocô, sem um mínimo de esforço. Agora, “desmontar” a arrogância alheia é phoda (assim mesmo, com PH)! Exige PENSAR! E pensar é que são elas! ‘Pensar é o trabalho mais árduo que há; talvez por isso tão pouca gente se dedique a ele’ (Eisenhauer)
Concordo que existe, sim, o dublê de blogueiro. Aquele que copia por que acha “brilhante” qualquer futilidade ou porque se identificou com os flatos e, já que a sua cretinice não lhe dá a dimensão do ao que se expõe, ele delira:
- Que lindo!
- PQP! É a minha cara bunda!
Plagiar é crime. A Lei nº 9.610/98 determina até indenização! Mas, mesmo se a porqueira de um post?! E - pasmem! - a Lei nº 10.695 determina detenção de até quatro anos para o “criminoso”, enquanto corruptos, assassinos, estupradores e mais um montes de facínoras viram "celebridades" nos noticiários midiáticos. Em verdade vos digo: acho que deveria se criar uma Lei para punir com rigor a quem escreve mal e porcamente a nossa língua. Aí sim, a Justiça iria arrecadar Everestes de grana!

Ah! Vão cagar no mato e limpar seus rabos com urtiga!
publicado por Assi Sales às 07:31

linkwithin
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...