o humor e as notícias mais sacanas da web
Quarta-feira, 17 de Agosto de 2011

Superstição é qualquer  crença ou sentimento aceito cegamente, especialmente no tocante à religião. Quanto mais culta e instruída é a pessoa, menor é o número de suas superstições. Senão, vejamos:


- Os africanos acreditam que terão boa sorte se vestirem uma serpente morta com roupas humanas. Isso inspirou a criação da ‘camisinha’, mas a expectativa de que a “cobra” ressuscite deu chabu!


- Os esquimós sepultam suas crianças mortas junto com um cachorro vivo, acreditando que o cachorro mostrará o caminho do céu à criança. No Brasil uma criança viva é que seria sepultada com o cachorro morto, pois este é muito melhor cuidado (A Sociedade Protetora dos Animais que o diga!). Diabo é saber se as atuais crianças, do jeito que a coisa anda, não levariam o pobre do cão diretinho pro inferno!


- Uma inglesa não limpa os ciscos da porta da frente por acreditar que isso atrairá má sorte para dentro de casa. As brasileiras fazem isso  também, mas por preguiça e sebosidade.


- Os alemães acreditam que se na véspera do natal levarem um trevo de quatro folhas no bolso, verão bruxas. No nordeste brasileiro para ver bruxas não carece de trevo ou de data. Basta sair às ruas. Tem cada uma!


- O italiano acredita ser mau agouro matar uma cobra, pois no lugar onde elas se ocultam grandes tesouros estariam escondidos. Isso está a cara e o cu de uma referência simbólica a falos e testículos!


- No Brasil, acredita-se que comer sopa de lentilha na passagem para o ano novo trará fartura e dinheiro. Deduz-se daí que, devido seu preço exorbitante, a lentilha é a única responsável pelo miserê do povo brasileiro.

 

- Os brasileiros acreditam também que quebrar espelho lhes dará sete anos de azar (Pô, que povinho pra quebrar espelhos, não?!). Passar sob uma escada também dá azar (imagine se alguém nela trepando ejacula!). Se cair um garfo, virá uma visita feminina; se cair uma colher, a visita será masculina; mas se cair qualquer outro talher, pode se preparar que lá vem bicha!

 

E isso é somente uma mostra das inúmeras superstições que assolam o mundo. Se você for supersticioso, dê três batidinhas na sua madeira. Mas faça figa para não bater fofo logo na primeira.


Sui Generis: Isola! Pé-de-pato mangalô seis vezes!

publicado por Assi Sales às 10:06

Domingo, 14 de Agosto de 2011

 

Lula Sem Cabeça - Integrante do PT (Partido do Terror). Segundo a lenda, este ser fantástico perdeu a cabeça numa prensa mecânica quando trabalhava como metalúrgico no ABC Paulista. Agora dizem que Lula Sem Cabeça assusta o mercado soltando fogo pelas ventas.

Saciro Gomes - Integrante do PPS (Partido Popular dos Sacis), Saciro Gomes tenta se manter no cenário político, mas isso fica muito difícil com uma perna só. Além do mais, este é o único representante dos sacis que não veste a carapuça.

 
Garotinho do Pastoreio - Integrante do PSB (Partido Supersticioso Brasileiro). Segundo reza ora a lenda, o Garotinho do Pastoreio era aliado político de um velho caudilho gaúcho. Um dia, depois de desentendimentos com membros do partido do seu senhor, Garotinho foi condenado a passar o resto dos seus dias sentado no formigueiro... Depois, eles mudaram de idéia e mandaram o pobre Garotinho ser governador do Rio, que era muito mais arriscado...

Lobisserra - Integrante do PSDB (Partido Sobrenatural Demonista Brasileiro). O único lobisomem careca da história. Ele tem apoio de todas as assombrações que compõem a máquina do Governo. Em noites de lua cheia, Lobisserra sai de sua toca com seus dossiês para devorar reputações e candidaturas alheias. A única coisa que pode impedir o Lobisserra de alcançar seus objetivos são a bala de prata e o mosquito da dengue... Ah! Tem a Dilffany, mas essa assombração entrou de gaiata no cenário folclórico brasileiro.

Dilffany

publicado por Assi Sales às 09:38

Quarta-feira, 06 de Abril de 2011

Recebi, por email, esta tão "edificante verdade" que me deixou de quatro, relinchando, e tão "sensibilizado" que não vi como não a partilhar com os - como diria um certo blogueiro que se tem por arauto da nobreza - Nobres Leitores(as). Vejam só que coisa mais folclórica "tocante":

Os dedos polegares representam os pais.
Os indicadores representam teus irmãos e amigos.
O dedo médio representa a ti mesmo.*
O dedo anelar (quarto dedo) representa o seu cônjuge.
O dedo mindinho representa teus filhos.

Junte as tuas mãos, palma com palma (Precisa lavar não! Pôncio Pilatos depois de o fazer, cagou pau), e una os dedos médios de modo que fiquem apontando a ti mesmo, como na imagem acima.

Agora tente separar de forma paralela teus polegares (representam teus pais). Você vai notar que eles se separam, porque teus pais não estão destinados a viver contigo até o dia da tua morte, até porque ninguém merece! Una os dedos novamente.

Agora tente separar igualmente os dedos indicadores (representam teus irmãos e amigos dedos-duros). Você vai notar que também se separam, porque eles se vão e têm destinos diferentes. Una os dedos novamente.

Tente agora separar os dedos mindinhos (representam teus filhos). Estes também se abrem, porque os filhos-da-puta crescem e quando já não precisam mais de nós nos dão um pé na bunda. Una os dedos novamente.

Finalmente, tente separar teus dedos anelares (o quarto dedo, que representa teu cônjuge) e, surpreendentemente, você vai ver que simplesmente não consegues separá-los. Isso se deve ao fato de que um casal está destinado condenado a estar unido até o último dia da sua vida e é por isso que o anel se usa neste dedo. Muito embora, depois que se inventou o desquite e, posteriomente, o divórcio, pelo óbvio, se cogite passar o uso da aliança para o dedo médio.
* Carece de explicação?
Colaboração: Bete Fernandes
publicado por Assi Sales às 03:30

linkwithin
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...